O charme das salas de estar integradas !!!

0
510

Uma sala de estar aberta, bem iluminada, com funções integradas e espaço para receber os amigos. Bom demais pra ser verdade? Não necessariamente. Hoje em dia as próprias construtoras sabem que esse tipo de ambiente virou preferência nacional, então na maioria dos casos o layout dos imóveis já é planejado dessa forma desde o início. É claro que quando o cômodo é naturalmente amplo, tudo fica mais fácil, né? Então para ser justa, escolhi como exemplos salas de portes diferentes: duas pequenas, duas médias e uma grande. Mas nada impede que você retire ideias viáveis de todas elas…

Na medida do possível

Às vezes o ambiente é tão pequeno que não cabe nem uma mesa de centro na frente do sofá. Você vive esse drama? Então dá uma olhada em como a arquiteta Gisele Taranto resolveu o problema em um apê decorado por ela: os móveis têm medidas enxutas (ou seja, nada de sofá gigantesco!); os revestimentos principais têm tons discretos, porém os objetos misturam diversas cores e estampas; o painel da TV acomoda dois pufes estratégicos para quando os moradores recebem visitas e a passagem para a varanda fica desimpedida. Nada extremamente complicado, então que tal copiar algumas dessas soluções?

Um pouco de cinza, um tanto de cor

A pequena cozinha virou protagonista no apartamento de 62 m² em São Paulo. Isso porque os moradores não tiveram medo de ousar: além de quebrarem duas das paredes que isolavam esse canto da casa, ainda revestiram a ilha central criada no projeto com diversos azulejos em tons pastel, formando uma espécie de mosaico em grande escala. Mesmo suaves, os tons chamam a atenção, então a base cinza das paredes e do piso é proposital. Assim os objetos colecionados podem aparecer com o destaque que merecem!

Luz por todos os lados

Sou um pouco suspeita pra falar desse apê, mas o living aberto da designer Paula Passini (minha dupla no blog Histórias de Casa), é um dos espaços mais gostosos que eu conheço. Depois de uma grande reforma, onde até o quarto de empregada mudou de função, ela integrou a cozinha à sala e ganhou o dobro de luz natural, já que agora a iluminação vem dos dois lados do prédio. O que faz a decoração ser tão aconchegante são os revestimentos rústicos, como tijolinho aparente e madeira de demolição, combinados a objetos coloridos e de valor afetivo. Uma mistura com jeito de praia e que deu super certo em São Paulo.

Deu vontade de ver tudo? Clique aqui para fazer um tour…

Reforma sem gastar muito

O apartamento da artista Verena Smit fica em um prédio construído na década de 50. Quando ela comprou o imóvel, os ambientes tinham dimensões bacanas, porém a distribuição não era das melhores. Após uma reforma rápida, a moradora também abriu a cozinha para a sala, mas ela preferiu criar uma divisória prática entre os dois cômodos para esconder a bagunça quando necessário. Ao invés de gastar com uma porta de correr convencional, Verena escolheu uma cortina levinha que cumpre esse papel com estilo. Para repaginar os azulejos sem estourar o orçamento, ela os pintou com tinta preta fosca. Confira o projeto completo nesse link.

Quase tudo de madeira

Não é todo mundo que tem o privilégio de morar em uma casa ampla cercada pela natureza, mas isso não significa que não dê para você extrair ideias acessíveis do projeto sustentável criado por Cristina Xavier e Hélio Olga. A unidade dos materiais, por exemplo, é uma solução que pode ser aplicada mesmo em um lugar compacto. Reparou que a madeira aparece no piso, nas paredes e no teto? Esse visual “caixa” ajuda a integrar diversas funções de um jeito elegante. Ao invés de misturar vários acabamentos e usar as novidades do mercado de uma só vez, prefira o velho “menos é mais”.

Fotos via 1 e 2. Gisele Taranto | 3 e 4. Planete Deco | 5 a 8. Histórias de Casa | 9 e 10. BOL