Entenda o incrível mundo dos autistas

0
57

O que é Autismo

O autismo é um termo utilizado para descrever uma série de transtornos relacionados ao desenvolvimento do cérebro, conhecidos como “Transtornos do Espectro Autista” ou TEA. Tais transtornos afetam as capacidades sociais dos indivíduos que os possuem. Pessoas que apresentam estas dificuldades tem dificuldades em compreender as normas de convívio social, como a comunicação verbal, não verbal e a intencionalidade das outras pessoas, como por exemplo entender um sorriso ou um tom de voz.

A imagem pode conter: 1 pessoa

Os sintomas, em geral, permanecem com o portador do distúrbio durante toda sua existência, ou seja, a pessoa e aqueles que a cercam precisam aprender a conviver e a “regular” estes transtornos. Há diversos níveis de autismo, sendo que as pessoas que apresentam sintomas mais leves conseguem levar uma vida relativamente normal. Os que apresentam sintomas mais graves são incapazes de cuidar de si mesmos e necessitam de uma intervenção o mais precoce possível. Apesar de não haver um motivo conhecido, é sabido que o autismo afeta mais os meninos do que meninas.

Autismo Infantil

O autismo é geralmente diagnosticado entre os 2 e 3 anos de idade. Em geral, o sintoma que leva a esta descoberta é a dificuldade na comunicação da criança, além da socialização e comportamento dela, que diferem muito de uma pessoa dita como “normal”. Outro fator que pode colaborar para um diagnóstico acertivo é a resistência em manter um contato visual por parte do provável autista. Eles são pessoas que têm dificuldade em criar um mundo de faz de conta, por isso, as crianças que sofrem deste problema, têm sérias dificuldades para brincar, principalmente em grupos, onde há socialização e uma imersão coletiva neste universo imaginário.

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, atividades ao ar livre

 

As causas do autismo não são bem esclarecidas, mas seu desenvolvimento pode estar ligado a alguns fatores como: herança genética; fatores ambientais, como complicações ao longo da gestação; alterações bioquímicas como o alto nível de serotonina no sangue; anormalidade do cromossomo 16 e etc. Mas, mesmo com essas indicações, é muito difícil identificar a causa do autismo. Porém, no caso das crianças, é importantíssimo que o autismo seja descoberto o quanto antes, para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível.

Sintomas de Autismo

 

A imagem pode conter: 1 pessoa, chapéu, close-up e atividades ao ar livre

Como dito antes, o autismo é notado, em geral, à partir de dois ou três anos de idade e há algumas características que podem evidenciar este distúrbio. Os sintomas ajudam os médicos e responsáveis a identificar o grau do autismo, que podem ser divididos em três grupos. São eles:

1- Ausência de contato interpessoal e dificuldade ou incapacidade de aprender a falar. Movimentos repetitivos e estereotipados, como empilhar latas sem nenhum motivo aparente, por exemplo.

2- Resistência em manter contato visual com pessoas, fala pouco desenvolvida e pouco utilizada como ferramenta de comunicação.

3- Este grupo é o que apresenta os menores sinais de autismo, já que possuem compreensão e domínio da linguagem, inteligência normal ou superior as demais pessoas. Pessoas com o grau três conseguem levar uma vida quase normal e são autossuficientes. Há apenas uma dificuldade em se relacionar com as outras pessoas, porém, esta dificuldade pode ser contornada com os tratamentos indicados.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado e criança

Em casos graves, é fundamental que toda a família passe por consultas e orientações especializadas, pois é fundamental que os familiares busquem uma forma de estabelecer uma comunicação com o indivíduo portador do autismo.

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e sapatos

Manter uma rotina também é importante, pois qualquer alteração é muito significativa na vida desta pessoa. Em alguns casos, pessoas autistas têm uma inteligência acima do normal em determinadas áreas do conhecimento, podendo até ser consideradas “gênios”, com um Q.I bastante elevado.

Autismo e Educação

A imagem pode conter: 1 pessoa

Educar um autista é uma grande dificuldade, mas, com algumas condutas é possível fazer com que ele aprenda e consiga levar uma vida quase normal. O primeiro passo é o educador desenvolver um programa de ensino focado no indivíduo, abordando os problemas individuais da criança.

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo

Incentivar a fala e a compreensão do idioma, estimular as habilidades sociais e cotidianas e desenvolver estratégias que desenvolvam a capacidade da criança autista de se integrar a outras crianças.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e pessoas sentadas

Criar situações que simulem o cotidiano da criança ajudam a despertar o interesse da mesma, fazer o uso de bonecos para representar a família e incentivar a investigação de pistas e sinais referentes à comunicação não verbal, são ótimas estratégias para estimular um autista a compreender o mundo das pessoas comuns.

Compreensão e inclusão

 

O mais importante para um autista é a inclusão, por mais difícil que ela seja. Com muito amor e paciência, é possível atingir este objetivo. Claro que haverão dificuldades, mas é uma situação que pode ser contornada. Em alguns casos, é quase impossível que um autista leve uma vida normal, já que ele dependerá de auxílios durante toda a sua vida, mas, é possível que ele leve uma vida menos isolada das demais pessoas.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, flor, planta, atividades ao ar livre e natureza

Em resumo: Diferentes mais iguais, precisam de Amor, Paciência,Dedicação e Respeito só que em Dobro.