Das sereias de Ronaldo Fraga à despedida de Gisele Bündchen, nove destaques do terceiro dia de SPFW Verão 2016

0
32

1 – Bye bye Gisele

 

Tops reunidas em torno de Gisele Bündchen no final do desfile da Colcci ©Rafael Chacon/Agencia Fotosite

TOPS REUNIDAS EM TORNO DE GISELE BÜNDCHEN NO FINAL DO DESFILE DA COLCCI ©RAFAEL CHACON/AGENCIA FOTOSITE

 
 
Não há outra palavra para descrever este momento senão emocionante! Gisele Bündchen se despediu das passarelas no desfile da Colcci, que reuniu ainda as amigas e tops Caroline Ribeiro, Luciana Curtis, Ana Cláudia Michels, Fernanda Tavares e Carol Bittencourt. No final do show, todas vestiram uma camiseta com Gisele estampada. A energia foi tão contagiante que a sala desfiles foi inteira ao choro. Até breve, Gisele.
 
 
2 – A onda é o mar
 
Looks de Paula Raia, Triya, Isabela Capeto, Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga ©Agência Fotosite

 
 
O mar, com sua natureza e mistérios, está rendendo boas histórias nesta temporada. Prova disso é que ele serviu de inspiração para cinco coleções e o SPFW ainda está na metade.
 
Alexandre Herchcovitch, Isabela Capeto, Paula Raia, Ronaldo Fraga e Triya abordaram o tema ora de forma mais literal, como nas estampas da marca de moda praia, ora mais sutil, como nos bordados de Herchcovitch e Paula. Independente da forma, o fato é que sereias, iemanjás, ondas e animais marítimos devem invadir as ruas no próximo verão.
 
 
3 – Ainda sobre Gisele
 
Corredores lotados no terceiro dia de SPFW por causa da despedida da Gisela ©Agência Fotosite

CORREDORES LOTADOS NO TERCEIRO DIA DE SPFW POR CAUSA DA DESPEDIDA DE GISELE ©AGÊNCIA FOTOSITE

 
A já batida metáfora “o furacão Gisele” não poderia ser mais apropriada. O dia da despedida de Gisele Bündchen das passarelas do SPFW foi premiado com o primeiro temporal da estação, o que ajudou a intensificar o tumulto e o empurra-empurra pelos corredores lotados – muito mais cheios que nos outros dias do evento, vale dizer. Mas a correria era perfeitamente compreensível, afinal era a última chance de sentir de perto o magnetismo da top na passarela – quem já a viu desfilar sabe o que é isso.
 
 
4 – O preciosismo artesanal de Isabela Capeto
 
Modelos no backstage de Isabela Capeto ©Sergio Caddah/Agência Fotosite

MODELOS NO BACKSTAGE DE ISABELA CAPETO ©SERGIO CADDAH/AGÊNCIA FOTOSITE

 
Para seu retorno ao SPFW, Isabela Capeto não poupou esforços e levou o handmade às últimas consequências. Como escreveu Carolina Vasone na crítica do desfile, “a estilista recortou, bordou, rebordou novamente, criou rendas richelieu em forma de conchas e estrelas do mar para aplicá-las nas barras dos vestidos, recortou estampas da própria coleção, como a do peixe, e a aplicou em outra peça, para bordar paetê por paetê o corpo do bicho. E tem mais: conchas de verdade, contas e búzios também foram bordados, pendurados meticulosamente, ao longo das peças”. Um trabalho digno dos grandes ateliês de Alta-Costura.
 
 
5 – Destino: Marrocos
 
Fila final da Salinas ©Chris Von Ameln/ Agência Fotosite

 
FILA FINAL DA SALINAS ©CHRIS VON AMELN/ AGÊNCIA FOTOSITE

 
Uma mulher viajante e aventureira permeou o Verão 2016 da Ellus e Salinas. Mas esse não foi o único ponto em comum entre as duas marcas. Em ambos os casos, o destino escolhido por essa nômade chique foi o Marrocos. De lá, vieram estampas inspiradas em mosaicos, cerâmicas e tapeçarias, cores quentes e ensolaradas, túnicas, patchworks, lenços e outros elementos da sua rica cultura. Um prato cheio para as gypsetters de plantão.
 
 6 – As sereias reais de Ronaldo Fraga
 
As sereias do desfile de Verão 2016 de Ronaldo Fraga ©Gabriel Cappelletti/ Agência Fotosite

 
AS SEREIAS DO DESFILE DE VERÃO 2016 DE RONALDO FRAGA ©GABRIEL CAPPELLETTI/ AGÊNCIA FOTOSITE

 
A cenografia é um dos pontos altos das apresentações de Ronaldo Fraga – não é à toa que ele diz que sempre começa a pensar seus desfiles por ela. Nesta temporada, que tinha como tema “A Fúria da Sereia”, ele levou um grupo de 35 mulheres de 18 a 85 anos para fazer as vezes do ser mitológico na passarela. Com os seios à mostra e sentadas sobre pneus, elas exibiam toda a força e feminilidade da sereia, ao mesmo tempo em que despertavam a reflexão para a questão ambiental da poluição dos oceanos.
 
7 – A bolsa-lancheira de Vitorino Campos
 
A bolsa de Vitorino Campos na passarela e no backstage ©Marcelo Soubhia/ Agência Fotosite e Camila Yahn

 
A BOLSA DE VITORINO CAMPOS NA PASSARELA E NO BACKSTAGE ©MARCELO SOUBHIA/ AGÊNCIA FOTOSITE E CAMILA YAHN

 
Por fora, ela parece apenas uma minibag comum, mas o grande trunfo do acessório deVitorino Campos estava na parte de dentro. Toda revestida por material isolante térmico, ela é perfeita para ser usada como lancheira. Queremos já!
 
 
8 – O fraque moderno de Reinaldo Lourenço
 
Reinaldo Lourenço fez uma releitura supermoderna do fraque em seu Verão 2016, inspirado na romancista francesa George Sand, uma das primeiras mulheres a usar roupa de homem. As minissaias e bermudas-desejo da coleção ganharam, na parte de trás, uma brincadeira com as costas do clássico traje masculino, que deram um divertido e charmoso movimento às peças.
 

9 – O petit comité de Alexandre Herchcovitch

 

Fila final de Alexandre Herchcovitch ©Chris Von Ameln/ Agência Fotosite

 
FILA FINAL DE ALEXANDRE HERCHCOVITCH ©CHRIS VON AMELN/ AGÊNCIA FOTOSITE

 

O estilista Alexandre Herchcovitch decidiu inovar e fazer um desfile pequeno, para poucos convidados, em uma sala do edifício Tomie Ohtake. O resultado? A apresentação, que é sempre uma das mais fortes do calendário, foi ainda mais disputada nesta temporada.